Colapso Traqueal Canino: o que é e como resolver?

Colapso Traqueal Canino: o que é e como resolver?
18 novembro 2015

Colapso Traqueal Canino: o que é e como resolver?

Crises de tosse e engasgo são responsáveis por ligar o alerta para probleminhas básicos para médicos veterinários: problemas cardíacos, colapso traqueal, traqueobronquite infecciosa canina, bronquites e outras doenças. E o assunto abordado hoje aqui no blog será o colapso traqueal canino, uma doença multifatorial, progressiva e degenerativa que atinge, principalmente, os cães miniatura ou toy.

O que é o colapso traqueal?

A doença se instala e vai piorando com o tempo. Os anéis traqueais perdem sua resistência e rigidez, resultando no sinal mais característico: a agonia respiratória.

Raças como Poodle Toy, Yorkshire Terrier, Maltês, Spitz Alemão e outras raças menores são as principais vítimas deste problema que não possui uma só causa definida, mas sim várias. Considera-se, portanto, que o colapso traqueal canino seja multifatorial, sofrendo influências genéticas, nutricionais e outras.

Os sintomas levantam a suspeita e os exames por imagem confirmam e são imprescindíveis para determinar a terapia. O tratamento possui duas vertentes: clínica e cirúrgica.

Como tratar?

O tratamento clínico tenta ser o menos invasivo possível. A alimentação do animal pode ser alterada no intuito de minimizar o efeito nutricional, com a suplementação através de condroitina, componente essencial para o bom funcionamento das cartilagens e dieta para animais obesos. Além de medicamentos que não curam o animal, tendo efeito apenas paliativo como antitussígenos, broncodilatadores, antibióticos e outros.

O tratamento cirúrgico é mais indicado para animais com grave colapso traqueal ou que não responderam bem ao tratamento convencional. Há diversas técnicas cirúrgicas disponíveis atualmente, porém as mais utilizadas são a introdução de um dispositivo intraluminal, pregueamento das membranas traqueais e prótese dos anéis dorsais. Em alguns casos, a técnica cirúrgica pode ser contraindicada, principalmente se houver acometimento da porção torácica da traqueia, onde há grandes taxas de mortalidade.

A técnica de pregueamento não deve ser utilizada em animais com casos muito graves (grau III e IV), pois pode piorar o estreitamento do diâmetro da traqueia.

Outra técnica pode ser a sustentação externa com suturas e utilização de anéis isolados de polipropileno. Apenas a porção proximal da traqueia torácica e a traqueia cervical é que estão aptas a este tipo de procedimento.

A sustentação interna dos anéis também pode ser feita com sustentação por tubos de silicone ou reforçados com metal.

A colocação de stents expansivos feitos de plástico, metal ou híbrido pode ser outra alternativa, que é feita através de endoscopia, considerado um método minimamente invasivo, para alívio imediato ou com grande risco cirúrgico.

O colapso traqueal causa um grande incômodo e agonia para os animais durante crises. É um problema comum, mas que possui tratamento e pode melhorar muito a qualidade de vida do pet.

Portanto, tosses e engasgos, semelhantes a grasnido de ganso devem receber especial atenção e cuidados imediatos. O tratamento feito precocemente e com a técnica correta pode garantir bons resultados, ainda que a cirurgia possa ter algumas complicações.

Na sua opinião, qual é a melhor forma de tratamento: cirúrgico ou clínico? Conte-nos sua experiência e os resultados! A sua participação é muito importante para nós. 

esboço caes gatos 2

2 Responses

  1. Paulo

    A melhor opção é o implante de protese em espiral de polipropileno na região afetada. Ai contrário do que diz o artigo já se faz correção em região torácica por tecnicas extraluminais.

Leave a Reply