13 julho 2015

Como escolher entre ração e alimentação natural?

Ração úmida, seca, comida natural, petiscos… São tantas opções no mercado pet que fica difícil escolher. Tutores de animais mais cuidadosos buscam oferecer o melhor para o seu animal. E como a alimentação saudável está em pauta atualmente, há quem queira transferir os mesmos cuidados ao pet. Porém, algumas dúvidas surgem na hora de decidir entre ração ou alimento caseiro, e por isso o veterinário precisa estar preparado para poder ajudar na decisão. Veja nossas dicas!

O que é melhor para o pet?

Se você possui um pet em casa, certamente já se deparou com aquela carinha de dó que eles fazem quando estamos nos alimentando, certo? E há quem não resista e acabe se rendendo aos encantos do pobre cãozinho. No final do dia, o cachorro ou o gato experimentaram um pedacinho de tudo que os humanos comeram. Mas aí mora um grande risco.

Existem alimentos que são tóxicos para os pets (alho, cebola, chocolate, uva e outros) e devem ser evitados. Por este motivo, oferecer restos de comida nunca é uma boa ideia. A nossa alimentação é totalmente inadequada para os pets, em termos de nutrientes, e vários componentes importantes para a saúde podem ficar de fora da dieta.

Vantagens e desvantagens das rações

As rações mais econômicas possuem ingredientes com digestibilidade menor e sem tantos diferenciais. Já as rações tidas como super premium, são feitas com grãos altamente selecionados, melhor nível de digestibilidade e boa palatabilidade, além de diminuírem o odor e quantidade de fezes.

A principal vantagem das rações é a praticidade para quem não tem tempo de preparar a alimentação natural corretamente. Rações existem em diversas faixas de preço e tem validade maior que a alimentação natural, o que também é uma vantagem.

No entanto, a quantidade de conservantes e corantes pode fazer mal ao pet. Além dos riscos que os grãos podem sofrer armazenados nos petshops, com a ação do tempo (umidade, fungos) e também com a presença de roedores, que transmitem doenças como a leptospirose.

Alimentação caseira para pets

A alimentação caseira é benéfica e extremamente saudável, pois remete aos instintos naturais do pet. Mas atenção: quando falamos em alimentação caseira, trata-se de refeição balanceada, preparada especificamente para o pet e feita por um veterinário. Não são restos de comida repletos de tempero.

Cães são tidos como onívoros e se alimentam de diversos tipos de alimentos. Os gatos, por sua vez, são carnívoros e devemos respeitar estas características de cada espécie.

A alimentação caseira tem a vantagem de ser preparada com base em um cardápio feito exclusivamente para o pet e suas necessidades, além de ser formulada com ingredientes frescos, variados e bastante apetitosos. A maior desvantagem é o fato de exigir um logo tempo para o preparo do cardápio, principalmente se houver mais de um animal na casa. Além do preço, que tende a ser maior, equiparado às rações super premium.

Preparar alimento natural sem orientação pode ser um grande risco à saúde. Se a alimentação natural for feita de forma errada pode levar o animal à óbito, pois a ausência do componente carnitina pode levar à lipidose hepática.

A hora da decisão: o que levar em conta?

A escolha por ração ou alimentação natural deve ser muito bem pensada e alinhada com o profissional responsável pela saúde do pet, levando em conta todos os prós e contras. O fato é que deve atender às necessidades energéticas e nutricionais, com bom funcionamento do organismo e claro, boa aceitação do cão ou gato. Consulte sempre um médico veterinário de sua confiança.

 

Qual a sua experiência com os métodos de alimentação para pets? Conte para gente aqui nos comentários. 

Leave a Reply