Como lidar com os filhotes?

17 dezembro 2015

Como lidar com os filhotes?

Apareceu um cliente novo que acabou de adotar um filhote de cachorro? Certamente ele vai chegar à sua clínica veterinária cheio de dúvidas e perguntas das mais diversas. Nessa fase importante, em que o tutor está se adaptando e aprendendo tudo sobre o novo integrante da família, é preciso que ele seja orientado para tratar bem do animal. Por isso, é importante que o médico veterinário o ajude e oriente sobre questões básicas como alimentação e vacinação.

Para facilitar, fizemos uma pequena lista com cuidados básicos, mas extremamente importantes, para que você possa repassar ao seu cliente. Confira!

Dicas de cuidados e tratamentos com filhotes de cachorros

Ambiente do filhote

O filhote de cão deve ser colocado em um local quente, agradável e protegido. É muito importante lembrar o tutor de que ele e frágil e desprotegido e, por isso, não pode simplesmente ser deixado no quintal. O ideal é ter uma caminha em um local coberto e protegido, sem vento. Uma caixa de papelão virada, dentro de um quarto ou outro local coberto, também pode ser uma opção.

Consumo de água

É necessário providenciar duas vasilhas, de uma altura que o filhote alcance com facilidade. Uma delas será para colocar água e a outra ração. A água deve estar sempre fresca e ser trocada todos os dias. Também é muito importante lavar os recipientes, usando esponja, pelo menos uma vez por semana. Além de ser um cuidado com o pet, é essencial para que a água de beber do filhote não se torne um criadouro de mosquitos.

Alimentação

Deixar claro que o filhote deve receber ração e não resto de comida, é algo muito importante. O ideal é indicar uma ração de filhote de boa qualidade para o tutor e alertá-lo quando deve parar de dar e passar para a ração de adulto. Na maioria dos casos, o animal come ração de filhote até os 12 meses, mas isso pode variar de acordo com a raça. Por isso, é importante orientar cada situação.

Vacinação

Muitas pessoas nem imaginam que a primeira vacina é dada com 45 dias de vida. Já outras acreditam que vacinando o cão uma vez, ele nunca mais precisará ser vacinado. Assim, deixa claro na caderneta de vacinação a data de retorno e que ele precisará desse cuidado por toda a vida também é necessário. Lembre-se de alertar sobre as diversas vacinas existentes e não apenas a V10 ou V11.

Contato com outros animais

Quem tem um “filho” novo quer logo sair com ele nas ruas, para mostrar para os amigos. O problema é que, se isso for feito, ele pode voltar para casa e logo começar a apresentar os primeiros sinais clínicos de cinomose e parvovirose. Assim, alerte o tutor de que os passeios serão necessários e saudáveis, mas só depois de 15 dias de todo o protocolo vacinal ter sido cumprido. Antes disso não, pois é perigoso.

 

Há algum outro ponto básico que você julgue essencial? Compartilhe com a gente deixando um comentário. 

Leave a Reply