Como transportar gatos e cachorros em viagens?
10 Maio 2016

Como transportar gatos e cachorros em viagens?

Seu cliente quer viajar e levar seu cão ou gato junto? Você, veterinário, precisará ajudá-lo nesse momento. Afinal, não basta colocar o pet dentro do carro e sair. É necessário se preocupar com as leis, com a segurança dos tutores, a segurança do bichinho e as questões sanitárias. Se você se programar e fizer tudo corretamente, a viagem tem tudo para ser um sucesso, seja ela de carro, ônibus ou avião.

Como preparar o pet para a viagem

Caso o animal nunca tenha andado de carro e vá viajar desta maneira, é indicado dar pequenas voltas com ele, algumas semanas antes, para que ele se acostume no ambiente e tolere ficar mais tempo dentro do veículo, até o término da viagem.

Gatos devem ser colocados em caixas de transporte e esta fixada no veículo com o cinto de segurança. Cão pode tanto ser colocado em caixinhas de transporte apropriadas para o seu tamanho, quanto ser transportado com cinto de segurança. Há um cinto específico para animais, que é conectado no local do cinto do carro e na coleira do pet. O ideal é usá-lo com coleira peitoral. Caso seu animal não esteja acostumado com ela, coloque algumas vezes antes, para que ele veja que não vai atrapalhar em nada.

Há ainda cadeiras de transporte especiais para cães, que são fixadas no banco e transportam o cachorro com muito conforto. Com esses cuidados, o pet será transportado com segurança e chegará bem ao local.

Nada de colocar o pet na caçamba, janela ou porta-malas. Além de arriscar a vida e a saúde dele, pode ser considerado infração de trânsito. Garanta que ele está confortável dentro do veículo, com temperatura adequada e boa ventilação. Se o trajeto for longo, é preciso parar algumas vezes, descer com o cão para que ele possa fazer xixi e caminhar um pouco. Mantenha-o sempre na guia.

Outro ponto muito importante é que o tutor carregue consigo a carteira de vacinação, que deve estar em dia, e uma declaração recente emitida pelo médico veterinário do falando que o pet está em boas condições de saúde. O mesmo deverá ser feito na volta. Antes de sair para retornar para casa, o bichinho terá que passar por um profissional que vai poder atestar a saúde dele.

Transporte de cães e gatos em ônibus e avião

Algumas empresas deixam o pet ir com o tutor, dentro do avião. Para isso, é cobrada uma taxa extra e o animal deve ser colocado em caixa de transporte. Só animais de pequeno porte são aceitos. Em outras companhias aéreas, o pet é colocado em um local separado, sempre dentro de caixa apropriada. É necessário consultar a empresa escolhida antes da viagem para programar a ida do pet. O atestado sanitário e vacinação em dia também são cobrados.

Se a viagem for de mudança para outro país, converse com o médico veterinário e consulte as vacinas obrigatórias para entrada de pets no local. O mesmo acontece com os ônibus e as normas dependem da viação escolhida.

Lembre-se de que gatos estressam-se com mudança de ambiente. Por isso, caso os tutores estejam saindo de férias e forem para um local mais longe, é interessante pensar em deixá-lo com alguém responsável por cuidar do bichano.

Gostou das dicas que você pode passar aos tutores? É comum que os donos de pet cheguem ao consultório com essas dúvidas? Conte para gente nos comentários!  

Leave a Reply