Como tratar a gravidez psicológica das cadelas?

30 agosto 2016

Como tratar a gravidez psicológica das cadelas?

A gravidez psicológica em cadelas é um problema bem comum. Por isso, com frequência, aparecem tutores nas clínicas veterinárias pedindo ajuda e relatando diversos sintomas nas cadelinhas. Cabe ao médico veterinário saber identificar essa doença e oferecer o melhor tratamento possível.

Também conhecida como Pseudociese, a gravidez psicológica pode acarretar diversas complicações ao pet. Essa doença atinge mais da metade das cadelas não castradas, inclusive as que nunca cruzaram e é causada por desequilíbrios hormonais no corpo do animal. A gravidez psicológica é como se fosse um “engano” do organismo do animal, que desencadeia mudanças físicas e comportamentais. O peto costuma se tornar mais maternal e até desenvolver tecido mamário.

Como diagnosticar a gravidez psicológica?

A intensidade dos sintomas varia muito. Em alguns casos, os sinais são tão leves que o tutor nem chega a perceber que o animal está passando por esse problema. Já em outras situações, a cadela pode apresentar leite nas mamas, indigestões, criação de ninhos e adoção de objetos como se fossem seus filhotes.

Outro ponto que ajuda a diagnosticar o problema é a sua recorrência. Em casos graves, a cadela pode apresentar os sintomas com frequência, passando por todos os problemas a cada cio.

Como tratar?

A gravidez psicológica pode trazer diversos problemas para a cadela, pois pode contribuir para o aparecimento da endometriose, tumores nas mamas e inflamações graves nas camadas do útero da, fazendo com que ela tenha muitas dores e complicações. O veterinário precisa estar sempre atento as complicações geradas pela gravidez psicológica, principalmente a inflamação nas mamas, conhecida como mastite, que pode ser prevenida com remédios que inibem a produção de prolactina, fazendo com que o leite da cadela seque.

O normal é que as fêmeas abandonem seu comportamento de “gravidez” em até duas semanas. Deve-se orientar que os tutores deixem a fêmea o mais a vontade possível, sem tentar tirar seus objetos de adoção e se aproximar demais, já que isso pode deixá-la ainda mais agressiva e ansiosa.

Quando esse período se alastra, é preciso tomar alguma atitude. Pode ser recomendada uma interação medicamentosa para o equilíbrio hormonal ou, em casos recorrentes e mais graves, a cirurgia de castração.

Prevenção

É bem difícil oferecer aos tutores recomendações de prevenção à gravidez psicológica. A única que existe, na verdade, é a castração da fêmea, que evita a produção dos hormônios ligados à gestação.

O veterinário deve sempre recomendar a atenção. Explicar aos tutores quais são os principais sintomas da gravidez psicológica e indicar que, quando houver sinal de alerta, a cadela seja trazida para a clínica veterinária, para um exame mais completo, que evite as complicações citadas.

Você já conhecia o tratamento para esse problema? Conte aqui a sua experiência!

Leave a Reply