Cuidado com coelhos: conheça a Pasteurelose

Cuidado com coelhos: conheça a Pasteurelose
05 Janeiro 2016

Cuidado com coelhos: conheça a Pasteurelose

Quando falamos de animais de estimação, sempre pensamos em cachorros ou gatos. Mas um animal está conquistando cada vez mais espaço na casa e na vida das pessoas: os coelhos. Eles são animais muito inteligentes, limpos e silenciosos. No entanto, um dos problemas que a maioria dos tutores de coelhos, e mesmo veterinários, enfrentam é a pouca informação sobre doenças, vacinas, remédios e outras características destes animais.

Uma doença muito grave, e que acaba matando muitos coelhos, é a pasteurelose. Ela é uma doença causada principalmente pela bactéria Pasteurella Multocida, infectocontagiosa e habitante comensal das vias digestivas e respiratórias de muitos animais domésticos. Conheça um pouco mais da doença.

Sintomas e diagnóstico da Pasteurelose

A pasteurelose apresenta muitos sintomas e o mais característico é a infecção das vias respiratórias, que acaba gerando muito muco para o coelho. Os principais sintomas apresentados pelos coelhos portadores de pasteurelose são:

  •          Descarga nasal mucopurulenta;
  •          Espirros;
  •          Septicemia aguda;
  •          Otite;
  •          Corrimento ocular;
  •          Absessos pelo corpo;
  •          Perda de equilíbrio;
  •          Letargia.

A pasteurelose é de fácil diagnóstico, por se tratar de uma doença comum. Basta observar os sintomas, fazer raio X do pulmão e observar se não há abcessos pelo corpo e patas. Os exames de sangue ajudam, porém não são conclusivos, pois os testes indicam apenas que o animal tem a bactéria, e não se ela está ativa.

Tratamento da Pasteurelose

A pasteurelose não tem cura. Quando o coelho é infectado pela bactéria, trata-se a doença com antibióticos. A bactéria é eliminada por muitos antibióticos, porém é resistente a Ampicilina e a Tetraciclina. O tratamento da doença dura semanas e até mesmo meses.

Os abcessos que tenham surgido no coelho podem ser removidos apenas cirurgicamente. Além disso, os tutores devem estar atentos ao apetite do animal. Caso o coelho pare de comer, será necessário forçar a alimentação por meio de uma seringa. Como a doença não tem cura, ela pode voltar no coelho caso ele seja exposto a uma situação de stress, que baixe a sua imunidade. Também é importantíssimo desinfetar todo o ambiente, para evitar transmissão para outros animais.

Prevenção da Pasteurelose

Coelhos são animais muito sensíveis e suscetíveis a doenças. O grande problema das doenças em coelhos é que, muitas vezes, quando o sintoma é percebido, o coelho já está com a doença muito avançada. A melhor maneira de tratar a pasteurelose é prevenir o seu aparecimento. Para fazer essa prevenção, são necessários os seguintes cuidados:

  • Evitar stress para o animal. O coelho quando estressado baixa a imunidade e fica muito suscetível a infecção;
  • Evitar uma superpopulação de coelhos. Quando há muitos coelhos, aumenta-se muito as chances de haver contaminação por pasteurelose;
  • Manter a higiene do local. A higiene é fundamental para prevenir esta e outras doenças do coelho;
  • Evitar que o coelho entre em contato com coelhos suspeitos. Portanto, caso seja necessário internamento do coelho com pasteurelose, o ideal é isolá-lo para evitar que contagie outros coelhos internados. Além disso, também é importante a completa assepsia do local, para evitar contaminações de outros animais;
  • A vacinação tem se mostrado eficaz na prevenção da doença.

A pasteurelose é o pesadelo de muitos tutores de coelhos. E a melhor maneira de prevenir esta doença é que o veterinário oriente os tutores para que eles façam medidas preventivas. Além disso, o veterinário também deverá acompanhar de perto o tratamento e fazer tratamentos preventivos em animais infectados, durante toda a vida dele.

Gostou do artigo? Então confira outras dicas úteis para gatos, cachorros e outros pets em nosso blog!

Leave a Reply