Florianópolis terá distribuição de coleiras em ação contra leishmaniose

Florianópolis terá distribuição de coleiras em ação contra leishmaniose
21 agosto 2015

Florianópolis terá distribuição de coleiras em ação contra leishmaniose

O tratamento de cães com leishmaniose é algo muito discutido, não só entre os médicos veterinários, mas também pela sociedade e protetores de animais. Enquanto o Conselho Federal de Medicina Veterinária é a favor da eutanásia de animais positivos, entidades protetoras algumas vezes entram na justiça e conseguem o tratamento, como aconteceu em Campo Grande.

Independentemente da posição de cada um, há um consenso de que é necessário usar ferramentas que ajudem a controlar a doença. Partindo deste princípio, o Centro de Controle de Zoonoses de Florianópolis, capital catarinense, está fazendo um trabalho amplo de prevenção com distribuição gratuita de coleiras repelentes para uso nos cães.

Prevenção à leishmaniose em Florianópolis

Os animais de Florianópolis são submetidos a exames, para diagnóstico da doença. Os tutores recebem orientação e esclarecimentos sobre transmissão, risco e prevenção da leishmaniose. As ações acontecem em diversos bairros da capital e os animais ganham coleiras repelentes, que auxiliarão no controle da doença.

Durante as campanhas, as pessoas são informadas de que queda de pelos na região dos olhos e das orelhas, emagrecimento excessivo, conjuntivite, crescimento anormal das unhas, feridas que não cicatrizam, podem estar ligadas à doença, e por isso os animais precisam ser examinados por um médico veterinário. As pessoas podem também procurar o CCZ para realizar o exame, caso o cão de estimação esteja sob suspeita da doença.

A campanha feita em Florianópolis

Nos últimos cinco anos, 179 animais foram diagnosticados com a doença em Florianópolis. Por isso, as ações se tornam de grande importância para impedir que o número de casos aumente. A campanha começou no dia 10 de agosto de 2015 na Lagoa da Conceição, no gramado em frente ao TILAG.

Os atendimentos também aconteceram na Barra da Lagoa, no Itacorubi, no Córrego Grande, Saco Grande e no Parque de Coqueiros.

Mais de 7.500 exames foram feitos desde o ano de 2010 e deles, 179 positivos. Os bairros que contam com ações preventivas com mais intensidade são os que compreendem a Bacia Hidrográfica da Lagoa da Conceição.

O uso de coleiras repelentes, a vacinação e manutenção do espaço doméstico limpo são incentivados pelo Centro de Controle de Zoonoses de Florianópolis para tentar controlar a doença.

Na sua cidade há muitos casos da doença? Como é feito o trabalho de prevenção pelos órgãos públicos?

 

 Conte pra gente! 

Você já conhece o InCardio?

Solicite o catálogo online!

Conhecer

Leave a Reply