Gatos que regurgitam muito: o que fazer

Gatos que regurgitam muito: o que fazer
18 agosto 2014

Gatos que regurgitam muito: o que fazer

Os gatos vêm ganhando mais admiradores no Brasil. O número de bichanos domésticos nos lares brasileiros cresce cerca de 8% ao ano, de acordo com informações divulgadas pela Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de São Paulo (Anclivepa-SP).

Com isso, cresce a busca de informações sobre como cuidar melhor de gatos. E uma questão muito abordada por quem tem um destes animais em casa é o fato de que eles costumam regurgitar com frequência. Isso faz com que muitos donos de animais se preocupem e recorram ao veterinário, já que não sabem até que ponto isso é normal.

Pensando nisso, separamos algumas das dúvidas mais comuns que os donos de gatos têm e como esclarecê-las.

Gatos que regurgitam muito: o que fazer

Uma questão de higiene

Primeiramente é importante deixar claro para o dono do animal que regurgitar é um dos vários hábitos que os felinos domésticos têm. Isso acontece porque estes animais zelam muito pela limpeza do corpo e do espaço onde vivem.

Ao lamber os pelos para retirar partículas de sujeira, alguns fios permanecem presos às aderências que os bichanos têm na língua – que se assemelham a cerdas de escovas de dente. O animal, então, acaba engolindo os pelos.

Como os pelos não são digeridos pelo organismo, o gato regurgita. Na maioria das vezes, os fios são expelidos em forma de bolas de pelo.

Frequência

A quantidade de vezes que um gato regurgita depende do volume de sua pelagem. Gatos com muitos pelos, como os da raça Persa e Angorá, obviamente, vão expelir mais pelos.

Alguns especialistas consideram que regurgitar uma vez ao dia pode ser considerado um comportamento normal. Mas se o gato faz isso duas, três ou mais vezes ao dia, recomende o dono a levar o animal ao seu consultório para realizar alguns exames clínicos ou laboratoriais.

Muita atenção também com os animais que regurgitam muitas vezes ao dia e que, simultaneamente, apresentam perda de apetite, emagrecimento ou apatia. Uma consulta e exames devem ser feitos com urgência, pois os sintomas podem indicar problema nos rins – órgãos extremante sensíveis nos felinos.

Aspectos

É preciso ficar atento também aos aspectos daquilo que é expelido pelo gato oralmente. O produto regurgitado deve conter pouca quantidade de comida – caso contrário, podem existir indícios de problemas gástricos, que afetam a nutrição do animal. Neste caso, vale uma visita ao veterinário.
Preste atenção ainda na coloração do produto expelido, que é, geralmente, clara e aparece misturada às cores da pelagem do animal. Manchas vermelhas podem indicar presença de sangue e manchas esverdeadas, problemas no pâncreas ou estômago.

Como reduzir

Caso o animal apresente boas condições de saúde, é possível adotar alguns procedimentos para que o bichano passe a expelir menos pelos. Regurgitar é um hábito normal dos felinos (nas condições abordadas acima), porém, não é um comportamento muito agradável para os gatos.

Instrua os donos dos animais a escová-los de uma a três vezes por dia como forma de diminuir isso. Além de o gato adorar a demonstração de carinho, a escovação elimina os pelos soltos, reduzindo a quantidade de fios que é inserida pelo animal.

Outra opção é fazer indicação de cremes que reduzem a quantidade de pelos engolidos quando passados sobre a pelagem do animal. Diga aos tutores que nunca cortem os pelos de um gato, explicando que, diferentemente dos cães, a pelagem dos felinos tem a tarefa de auxiliar no equilíbrio e senso de direção.

Gostou das dicas?

Como você instrui os donos de animais a cuidarem dos seus pets? Comente!

Você já conhece o InCardio?

Solicite o catálogo online!

Conhecer

Leave a Reply