Tricobezoar: como orientar o proprietário e evitá-lo

24 novembro 2014

Tricobezoar: como orientar o proprietário e evitá-lo

Todo gato toma seu banho e se limpa usando a língua. O que é um comportamento instintivo pode se tornar caso clínico quando esses pelos se acumulam no estômago, formando verdadeiras bolas que podem ser chamada como pilobezoários, tricobezoares ou pilobezoares ou simplesmente bolas de pelo. Algumas vezes, os pelos são vomitados, outras vezes não, então se tornam um corpo entranho.

Como a bola de pelo surge

Além da higiene, há outros fatores que podem levar ao acúmulo excessivo de bolas de pelo como a alopecia psicogênica, que aumenta a ingestão de pelos, ou doenças gastrointestinais primárias, que impedem que esse pelo seja regurgitado como deveria.

Quando a ingestão é grande e a regurgitação não ocorre, alguns pelos, ao invés de serem expelidos nas fezes, acabam se misturando a resíduos alimentares e secreções da mucosa gástrica e formando as bolas de pelo.

O tricobezoar se transforma em um corpo estranho que pode acabar causando obstruções no aparelho digestório. Como sinais clínicos poderão ser observados vômitos, perda de peso, anorexia e dor abdominal. RX e ultrassom auxiliam no procedimento diagnóstico, além de uma boa anamnese.

A intervenção cirúrgica torna-se a melhor opção terapêutica, mas em casos mais leves, uma lavagem intestinal pode ser suficiente para resolver o problema. Isso vai variar de acordo como tamanho do bolo de pelos e com a situação do paciente. É válido lembrar que fosfato de sódio pode causar intoxicação ao ser absorvido através da mucosa intestinal. Por isso, não deve ser usado no enema.

Como evitar o tricobezoar

Como sempre o melhor caminho é a prevenção. O problema é que dessa vez não dependerá de uma vacina em dia ou de um protocolo bem feito de vermifugação. Para prevenção, o proprietário terá que ter cuidados diários com o animal e o veterinário deverá orientá-lo quanto a isso. Veja algumas dicas do que orientar:

  • Escovação: a escovação precisa ser preferencialmente diária quando o gato tiver pelos longos. Gatos de pelos curtos podem ser escovados duas vezes por semana. É importante que todos os animais da casa sejam escovados, pois além do animal engolir os próprios pelos, ele também engole o dos companheiros quando os lambe.
  • Tosa: gatos com pelos muito longos devem ser tosados pelo menos com a tosa higiênica. Com isso, evita-se que a sujeira grude e estimule o animal a se lamber mais, o que pode levar a uma ingestão maior de pelo.
  • Dermatites: é importante orientar o proprietário quanto aos problemas de pele. Explicar que caso notem falhas nos pelos dos felinos, é importante que eles sejam levados para exame. O mesmo vale para casos de excesso de lambeduras.
  • Alimentação: além da ração específica, que já tem uma quantidade satisfatória de fibras que ajudará na formação do bolo fecal e na expulsão dos pelos sem que eles formem bolas, hoje há produtos em forma de petiscos disponíveis no mercado que ajudam a eliminar os pelos engolidos. Rações específicas para animais de pelos longos também possuem essa propriedade e podem ser indicadas.

Você já atendeu algum caso assim na sua rotina clínica?

Conte pra gente nos comentários!

Você já conhece o InCardio?

Solicite o catálogo online!

Conhecer

Leave a Reply